Benefícios e sacrifícios serão divididos entre militares em nova previdência

"Possíveis benefícios ou sacrifícios serão divididos entre todos, sem distinções de postos ou graduações", escreveu Bolsonaro nas redes sociais sobre a reforma da Previdência aos militares

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou neste domingo (17) que a proposta preparada por seu governo para reformar o sistema de aposentadoria das Forças Armadas não privilegiará grupos.

“Possíveis benefícios ou sacrifícios serão divididos entre todos, sem distinções de postos ou graduações”, escreveu nas redes sociais.

Leia Também

+ Presidente dos poderes se reunem para tratar da nova previdência

+ Sem reforma da previdência, União terá dificuldades em pagar salários

Bolsonaro afirmou que ainda não recebeu a proposta final. No sábado (16), o secretário especial de Previdência, Rogerio Marinho, se reuniu com representantes das Forças para discutir o texto.

Ele e o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) confirmaram que a entrega do projeto ao Congresso ocorrerá até quarta-feira (20).

“Permaneço no firme propósito de valorizar e unir a tropa no ideal de melhor servir à pátria”, afirmou Bolsonaro.

O presidente está em trânsito a caminho de Washington, onde se encontrará com o par americano, Donald Trump.

Também no sábado, o general e ministro Santos Cruz (Secretaria de Governo) disse que a proposta de reforma da Previdência dos militares formulada terá aumento de tempo e percentual de contribuição.

“Parece que aumenta um pouco o tempo de serviço, aumenta também o percentual de contribuição”, afirmou, após almoço na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Questionado se eram pontos pacificados, ele assentiu. “Isso daí vai acontecer.”

Fonte: Folhapress
Mais para você
Comentários
Carregando ...