publicidade

Tempestades nos sacodem e nos jogam para cima

O tempo fechado nos abre

As mudanças mais bonitas

Não vem com calma e sossego

São uma ventania incontrolável

Jogando tudo pra cima

Nada cai no mesmo lugar

Nem as coisas

Nem o coração

Nem você

O tempo fechado nos abre

(Ryane Leão)

- continua depois da publicidade -

Quantas vezes nos pegamos reclamando de algo que parece ruim em nossas vidas. Ficamos assustados quando somos arrancados a força da nossa caixinha “zona de conforto” e perdidos como “cego em tiroteio”.

Olhamos para o alto e perguntamos: de onde me virá o socorro?

Naquele momento não temos a menor compreensão de que aquele tsunami já é o socorro. Ele veio para nos salvar de nós mesmos, da nossa comodidade, da nossa preguiça, do nosso ostracismo, uma vez que, quando está tudo tranquilo, não buscamos o novo em nossas vidas.

Se você analisar os momentos de maior crescimento em sua vida foi quando a vida te sacudiu e te colocou para pensar como resolver aquele “problema” que desafiou você a buscar e querer mais da vida.

Comigo também não foi diferente.

Vivi um momento que o chamo de “meu mundo caiu”. Sabe aqueles momentos que o “Universo” te desafia por todos os lados? Quando você resolve um desafio e chegam mais três para serem resolvidos? Pois bem, foi assim que aconteceu.

Uma vida inteira estruturada sobre alicerces sólidos sofreu um terremoto. Não era comigo, mas me afetou diretamente, porque afetou pessoas que eu amava.

Comecei a falar para mim mesma: calma, que tudo isso vai passar. Mas só piorava, piorava e piorava. Cheguei a desconfiar até das minhas crenças sobre a vida, sobre as pessoas, sobre a sociedade.

O que não tem remédio, remediado está. Então, “bora” arregaçar as mangas e buscar solução para todos os conflitos que se apresentavam.

Como achar solução se as emoções estão em frangalhos?

Fé em Deus é tábua de salvação. Depois buscar informação e conhecimento.

Nesta fase fui apresentada ao “coaching”, que passou a ser um divisor de águas. “Eu” antes do coaching e “Eu” depois do coaching.

Leia Também

Descobri que com conhecimento podemos acelerar os resultados das nossas vidas e acabar com a “sofrência”.

O conhecimento científico pôde me ajudar a dar a virada na vida e nos desafios e se abriu um novo horizonte em minha vida e na vida daqueles que querem mais.

Descobri que emoção é chave e aprender a controlá-la é uma grande alavanca para o sucesso.

Que autoestima é muito mais que amor próprio.  É ferramenta de alta performance.

Que valores norteiam as nossas decisões e conhecê-los nos levam a certezas que trazem paz de espírito. Mesmo que o mundo inteiro nos condene por decisões tomadas, dentro de nós existe um oásis de certeza que as opiniões externas não nos abalam e nem nos transportam para o deserto da dúvida.

Que nossas crenças determinam que tamanho será nosso mundo e nossas conquistas. Mas que elas podem ser mudadas e ampliadas como se fosse colocada lente de aumento.

Que nosso lado criança está vivo dentro de nós, mas que precisamos acessá-lo e liberá-lo para sermos alegres e felizes.

Que sonhos são combustível para a realização. Quem não sonha não realiza.

Que família não dá para terceirizar, pois ela é alicerce de construção de vida.

“Que sozinho podemos ir mais rápido, mas juntos podemos ir mais longe.”

Que felicidade e sofrimento é questão de decisão.

E que decisão causa destino.

A escolha está em suas mãos.

PUBLICIDADE

Comentários
Carregando ...