Trilogia da vida

Nascer, crescer e morrer - essa seria a regra natural

Via de regra, atravessamos uma existência buscando a FELICIDADE.

Muitas pessoas morrem sem encontrá-la ou morrem por não a encontrar.

“Segundo o Ministério da Saúde (dados de 2018), a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no mundo. Coibir essas mortes evitáveis é tarefa de todos nós. São 800 mil suicídios por ano, dos quais 65 mil acontecem aqui na região das Américas.” Hoje suicídio é já considerado caso de saúde pública.”

Leia Também

A “negação” que mata as oportunidades

Autismo: desinformação e mitos alimentam preconceito

Quando as pessoas se sentem pressionadas, e, geralmente essa pressão é muito mais interna que externa, não conseguem identificar alternativas viáveis para a solução de seus conflitos, optando pela morte como resposta de fuga da situação estressante. Ou buscando o uso de entorpecentes para tirá-lo da dor emocional e da “realidade emocional” criada pelo próprio indivíduo. Resumindo: FUGA DA REALIDADE.

É mais provável estas situações ocorrerem durante os períodos de crise socioeconômica, crises familiares ou uma crise individual.

Depressão, ansiedade, bullyng, problemas financeiros, traumas por violência sexual, solidão, baixa autoestima e doenças mentais são algumas das causas apuradas alterações comportamentais e muitas vezes por buscas insanas que violam a vida ou a integridade física do indivíduo.

Em estudos internacionais existe uma estatística alarmante que nos próximos 10 anos teremos 1/3 da população mundial sofrendo de depressão.

Se considerarmos que existem mais de 7 bilhões de habitantes no planeta Terra, mais de 2 bilhões de pessoas estarão vivenciando esta dor emocional e tristeza profunda.

Se observarmos a real causa dos suicídios, da depressão, da ansiedade, do uso de entorpecentes etc, podemos concluir que está diretamente ligado às EMOCÕES. Logo, entender como é o funcionamento das emoções é bastante importante para o controle da vida, da morte e da felicidade que o indivíduo pode ou não gerar.

Quanta vida plena poderia ser construída com informação. Quanta morte poderia ser evitada se as pessoas tivessem orientação de como controlar suas emoções.

Mas dá para controlar as EMOÇÕES?

Primeiramente, é importante entender que ficamos tristes, porque pensamos em coisas negativas e não pensamos em coisas negativas porque estamos tristes.

Quando entendemos isto, somos os únicos responsáveis pelas nossas emoções, uma vez que: EU PENSO, EU GERO EMOÇÃO, justamente porque sou responsável pelos meus pensamentos.

São produzidos em nossa mente mais de 68.000 pensamentos por dia. Dai você me diz: vai dar um trabalho danado controlar essa quantidade de pensamentos.

Tenho uma boa notícia: você só precisa controlar os pensamentos que te conduzem a emoções negativas. Diminuiu bastante o trabalho, não é?

Ter pensamentos positivos alteram as reações neuroquímicas do cérebro, que produzirá hormônios do bem-estar e do prazer: serotonina, endorfina, dopamina e ocitocina.

Estando neste estado de bem-estar você se torna mais produtivo e realiza mais. Realizando mais você se torna mais feliz e produzirá mais ainda.

Entrando neste círculo virtuoso poderá desfrutar de uma vida intensa, livrando-se das armadilhas emoções que poderão conduzi-lo para uma vida de miséria emocional.

Quer saber mais detalhes sobre como produzir essa revolução emocional em sua vida? É só enviar um e-mail para [email protected] e teremos um imenso prazer em ajudá-lo.

By Carla Baccan

Mais para você
Comentários
Carregando ...